terça-feira, 13 de março de 2012

A teoria correta da inspiração da Bíblia

                A teoria correta da inspiração da Bíblia é:
                A TEORIA DA INSPIRAÇÃO PLENÁRIA OU VERBAL. Ela ensina que todas as partes da Bíblia são igualmente inspiradas; que os escritores não funcionaram como máquinas inconscientes; que ouve cooperação vital e contínua entre eles e o Espírito de Deus que os capacitava. Afirma que homens santos escreveram a Bíblia com palavras do seu vocabulário, porém sob uma influência tão poderosa do Espírito Santo, que o que eles escreveram foi a Palavra de Deus.
                DIFERENÇA ENTRE "REVELAÇÃO" E "INSPIRAÇÃO" DIVINAS
                Revelação é a ação de Deus pela qual Ele dá a conhecer ao escritor coisas desconhecidas e que o homem por si só não podia jamais saber (Dn 12:8; 1 Pd 1:10,11). Quanto à inspiração, já demos a sua definição anterior. A inspiração nem sempre implica em revelação. Lucas, por exemplo, foi inspirado a examinar trabalhos já conhecidos ao escrever o Evangelho que traz o seu nome (Lc 1:1-4). Exemplos de partes da Bíblia que foram dadas por revelação, são:
               Os primeiros capítulos de Gênesis. Como escreveria Moisés sobre o assunto anterior a si? A não ser por revelação.
               José interpretando os sonhos de faraó (Gn 40:8-39).
               Daniel declara ao rei Nabucodonosor o sonho que ele teve, e em seguida interpreta-o (Dn 2:2-7,19,28-30).
               Os escritos de Paulo, visto que não andou com Jesus. Ele creu por volta do ano 35d.C., e em suas epístolas nos conduz ao ensino doutrinário sobre a igreja, inclusive no que tange à Escatologia, e a assuntos de primeira grandeza como regeneração, justificação, paracletologia, ressurreição, glorificação, etc. Ele mesmo nos declara ter sido por revelação (Gl 1:11,12 e Ef 3:3-7). Nos seus escritos há passagens onde esta revelação é bem patente, como em 1 Cor 11:23-26, onde diz: "Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei...".
               DIFERENÇA ENTRE DECLARAÇÃO DA BÍBLIA E REGISTRO DE DECLARAÇÃO.
               A Bíblia não mente, mas registra mentiras que outros proferiram. Nesses casos, não é a mentira que foi inspirada, e sim o registro bíblico da mentira. Ela registra o que o insensato diz no seu coração "Não há Deus", (Sl 14:1). Esta declaração não foi inspirada, e sim seu registro.
               A Bíblia registra declarações de Satanás. Suas declarações não foram inspiradas por Deus, e sim o registro delas. Durante a leitura é preciso verificar quem está falando, para quem está falando, para que tempo está falando e em que sentido está falando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário